Compra Direta vai atender 57 municípios do Paraná

No total, serão atendidos 57 municípios do Paraná com R$ 7,3 milhões previstos no Programa de Aquisição de Alimentos.

As cidades de Cornélio Procópio, Quatiguá, Itambaracá, Jundiaí do Sul e São José da Boa Vista, no Norte Pioneiro; Colombo, na região metropolitana de Curitiba e Rebouças, no Sul do Estado, serão atendidas com R$ 1 milhão pelo Compra Direta, programa do Ministério da Cidadania em parceria com as prefeituras. No total, serão atendidos 57 municípios do Paraná com R$ 7,3 milhões previstos no Programa de Aquisição de Alimentos.

“O Compra Direta fortalece a renda e a organização da agricultura familiar e coloca comida na mesa de quem mais precisa. Estimula o desenvolvimento local sustentado e possibilita a geração de iniciativas que garantam a permanência da família no campo com qualidade de vida. Além de combater a fome, é um importante instrumento de geração de trabalho e renda”, diz o deputado Romanelli (PSB) que representa as sete cidades na Assembleia Legislativa.

Entre as cidades da base de Romanelli, os recursos serão distribuídos da seguinte forma: Cornélio Procópio vai receber R$ 200 mil e atender 31 produtores e Colombo terá R$ 400 mil para adquirir produtos de 62 agricultores. Itambaracá, Quatiguá, São José da Boa Vista e Rebouças terão R$ 80 mil cada uma para atender um mínimo de 13 agricultores em cada município. Jundiaí do Sul vai receber R$ 90 mil para atender 14 agricultores.

Agricultura familiar – Com os recursos do Programa de Aquisição de Alimentos, nome oficial do programa, as prefeituras compram alimentos produzidos por agricultores familiares e distribui a entidades que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade social e de insegurança alimentar e nutricional , como asilos, hospitais públicos, creches, Apaes, Provopar, associações de proteção à maternidade e infância.

“Esse é um programa de compra de alimentos do governo federal que incentiva a agricultura familiar, promove a organização produtiva e econômica no meio rural, o combate à pobreza extrema e o acesso à alimentação adequada e saudável”, diz o prefeito de São José da Boa Vista, Sérgio Kronéis.

A prefeita de Quatiguá, Adelita Parmezan, ressalta a importância do programa para os agricultores e entidades sociais. “Para os agricultores familiares, que estão aptos a receber até R$ 6,5 mil por ano, é um incentivo para investir na produção e para as organizações assistenciais é a garantia de receber alimentos frescos e de qualidade para atender pessoas em situação de vulnerabilidade”, afirma.


Retomada –
 Como secretário do Trabalho, de 2011 a 2014, Romanelli  coordenou o programa no Estado. “O Paraná foi o Estado que mais recebeu recursos para a execução do programa. Investimos R$ 92 milhões, beneficiando mais de 15 mil agricultores familiares, em 309 municípios e atendemos mais de 4 mil entidades assistenciais, com 1,3 milhão de pessoas beneficiadas”, lembrou o deputado.

Segundo Romanelli, com os recursos repassados pelo governo federal e a contrapartida do Tesouro estadual, foi possível garantir condições de produção aos pequenos agricultores do Estado e também a sobrevivência de entidades sociais.

“O programa sofreu alterações e sucessivos cortes orçamentários. Houve um desmanche, a exemplo do que aconteceu com vários outros programas sociais. Felizmente, o governo federal resolveu retomar o Compra Direta e nossa expectativa é que amplie os recursos para atender agricultores e entidades”, analisa.