Comerciantes querem redutor de velocidade em avenida de Jacarezinho

Esquina da Avenida Getúlio Vargas com a Rua Coronel Figueiredo tem alto fluxo de pedestres e veículos, porém prefeitura negou solicitação

Trecho na área central de Jacarezinho foi cenário recente de um acidente fatal CRÉDITO: Tribuna do Vale

Comerciantes da Avenida Getúlio Vargas, no centro de Jacarezinho, querem a instalação de um redutor de velocidade nas imediações da agência dos Correios, próximo à esquina com a Rua Coronel Figueiredo. O pedido acontece em virtude do alto fluxo de veículos e pedestres no local, além da alta velocidade que alguns motoristas desenvolvem no trecho.

Recentemente os comerciantes se mobilizaram e fizeram um abaixo assinado com mais de 100 assinaturas solicitando ao município a instalação de algum dispositivo para controlar a velocidade dos veículos que garanta segurança aos pedestres, porém, a prefeitura negou o pedido.

“Aqui é um trecho perigoso. Quem está descendo a avenida vem em alta velocidade e quem vai subir acaba acelerando para embalar. Já tivemos vários acidentes e um acabou com uma pessoa morta. Acho que estão esperando morrer mais gente para tomar providências”, disse um comerciante que pediu pra não ter o nome revelado.

A prefeitura respondeu o abaixo assinado argumentando que já existe um redutor de velocidade na quadra de cima para quem está descendo a avenida e por se tratar de um aclive no sentido oposto não existe necessidade de redução da velocidade, além de se tratar de uma via rápida.

A resposta, no entanto, segundo os comerciantes, não leva em consideração os fatores de risco já citados. Outro problema seria o número de idosos que atravessam a avenida naquele trecho. “Muitos idosos descem do ônibus do lado de cá da avenida e depois atravessam para a catedral. Como os carros passam correndo para cima e para baixo eles têm uma dificuldade enorme para atravessar. A gente fica até com dó, sem contar que todo mundo tem medo de acontecer outra tragédia aqui”, continua o comerciante.

FEIRA

Como se não bastasse o risco do próprio tráfego pesado por si só, o local ainda tem a feira as quartas, o que atrai ainda mais veículos e pedestres para o local.

Segundo os comerciantes, o ideal seria a instalação de um semáforo, mas qualquer outro dispositivo de redução de velocidade já contribuiria para a segurança. Contudo, com a negativa já justificada da prefeitura, não há expectativa nenhuma que alguma das medidas sugeridas seja adotada.