Estado deve anunciar edital neste mês para pavimentação do Contorno Sul

Obras terão investimentos de R$ 12 milhões para asfaltar ligação entre a PR-092 e a PR-422

Pavimentação do Contorno Sul visa tirar o trânsito pesado do centro da cidade FOTO: Arquivo

O governo do Paraná deve lançar neste mês o edital para a pavimentação do Contorno Sul, em Wenceslau Braz. A obra, orçada em aproximadamente R$ 12 milhões, irá asfaltar os três quilômetros do trecho que liga a PR-092 à PR-422, com o objetivo de amenizar o fluxo intenso de veículos no centro da cidade.

De acordo com o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), no momento são realizados os últimos cálculos para indenização de cinco proprietários das terras onde a obra será executada. O passo seguinte é o lançamento do edital.

Seguindo o cronograma do Estado, a previsão é de que a pavimentação do trecho comece em dezembro e leve 12 meses para ser concluída. Os recursos para a obra são 85% do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e 15% do governo do Paraná.

O projeto prevê a implantação de uma pista simples pavimentada com acostamentos e duas interseções em nível nas extremidades. Uma ferrovia existente no local será transposta através de um viaduto com 30 metros de comprimento. Além disso, haverá ainda a construção de uma rotatória na entrada da cidade para quem chega pela PR-422 (sentido São José da Boa Vista).

Atualmente quem precisa fazer a conversão entre as rodovias sabe que as duas opções de tráfego não são das melhores: ou cruza a zona urbana ou utiliza o contorno. Ambas as rotas possuem aproximadamente três quilômetros de extensão e desagradam aos motoristas pela demora que impõe. Enquanto a cidade apresenta inúmeras lombadas e esquinas com pouco espaço para manobras, principalmente de caminhões maiores, o caminho sem pavimentação tem desníveis e buracos, além de atoleiros em dias de chuvas com maior intensidade.

Com o contorno pavimentado, os motoristas terão a opção de fazer a conversão entre as rodovias de forma muito mais rápida e segura. Já para os moradores das ruas usadas como rota atualmente pelos caminhoneiros, ficará o alívio de um trânsito mais leve.