Delegado alerta sobre extorsão na internet com divulgação de nudes

Golpistas usam perfis falsos em redes sociais para seduzir homens e mulheres

Delegado Rafael Guimarães CRÉDITO: Antônio de Picolli

O delegado Rafael Guimarães, titular da 38ª Delegacia Regional de Polícia de Santo Antônio da Platina, alerta a população sobre a prática recorrente de crimes de extorsão cometidos por golpistas que usam perfis falsos em redes sociais para seduzir homens e mulheres.

“Aqui em Santo Antônio da Platina tem ocorrido muitos casos de pessoas que aceitam amizades de pessoas desconhecidas nas redes sociais (principalmente no Facebook) e começam a manter conversas íntimas e troca de nudes. São casos em que existe um golpista por trás, o qual cria um perfil falso (fake) nas redes sociais e no WhatsApp e começa a atrair a vítima com troca de  fotos nuas e conversas sedutoras”, explica o delegado.

Ainda conforme o titular da 38ª DRP, após período em que a vítima imagina estar criando vínculo afetivo com o suposto affair, quando já revelou detalhes da vida íntima e enviou fotos nuas, o caso se torna um pesadelo, pois o criminoso passa a exigir quantias expressivas por meio de depósito bancário para não divulgar a conversa íntima a familiares e amigos da vítima.

Guimarães salienta que as cobranças continuam mesmo após o cumprimento do ‘acordo’. “Mesmo que a vítima pague o valor exigido, o golpista volta a extorqui-la tempos depois, repetindo o modo de agir. Por isso é preciso muito cuidado ao conversar com pessoas desconhecidas na internet”, adverte.

O delegado observa que o caso em questão implica em crime de falsa identidade (artigo 307 do Código Penal), extorsão (artigo 158 do Código Penal) e divulgação de nudes sem consentimento (artigo 218-C do Código Penal).

“Em Santo Antônio da Platina os alvos preferidos dos golpistas têm sido mulheres comprometidas, mas já ocorreram também casos de homens sendo vítimas”, revela Guimarães. “Então fica o alerta para que as pessoas não se esqueçam do óbvio: não divulgar sua vida privada ou compartilhar fotos íntimas para quem não conhece pessoalmente e seja de total confiança”, conclui.