Polícia aguarda perícia para concluir investigações de acidente e homicídios

Prazo para conclusão de inquéritos é de 30 dias, mas pode ser prorrogado pelo delegado responsável

Cacá, Diego, Jefferson e Junior Cubas foram assassinados a tiros CRÉDITO: Arquivo

A Polícia Civil aguarda pelos resultados do Instituto de Criminalística do Paraná para concluir as investigações do grave acidente ocorrido há 30 dias na BR-153, em Santo Antônio da Platina, que vitimou dois jovens casais e uma criança de 1 ano, e quatro homicídios registrados a partir de setembro do ano passado no município.

Murilo, Juliana, Nina, Fábio e Lorena; vítimas da tragédia no dia 3 de janeiro na BR-153
CRÉDITO: Arquivo

De acordo com o delegado Rafael Guimarães, titular da 38ª Delegacia Regional de Polícia, no caso do acidente ocorrido no dia 3 de janeiro que provou a morte de Fábio Ricardo Mialski de Oliveira Júnior, 27, Lorena Ribeiro Basílio, 23, Murilo Augusto Rosendo de Oliveira, 26, Juliana Barros Wolf, 25, e Nina D’el – Rei Rosendo, de apenas 1 ano e 2 meses, além dos resultados das perícias nos veículos envolvidos na colisão frontal a Polícia Civil ainda aguarda o depoimento do motorista da carreta que supostamente teria provocado a tragédia. Já em relação aos homicídios, as investigações apontam para uma suposta relação em pelos três dos quatro assassinatos.

“A Polícia Civil depende da materialidade dos fatos para concluir as investigações, e o trabalho de perícia do Instituto de Criminalística é fundamental para o esclarecimento dos fatos. No caso do acidente que vitimou cinco pessoas no início do ano na BR-153, testemunhas já foram ouvidas e os veículos já passaram por perícia, cujos resultados, no entanto, ainda são aguardados. Contudo, resta ainda o depoimento do motorista da carreta envolvida no acidente. Ele foi atendido no Pronto Socorro no dia da tragédia e depois liberado pelo delegado que atendia o plantão para voltar para sua casa comprometendo-se a esclarecer as circunstâncias do acidente posteriormente, o que deve ocorrer por meio de carta precatória, que também demanda mais tempo e, consequentemente atrasa os trabalhos da investigação policial”, explica o delegado.

“Quanto aos homicídios, igualmente a Polícia Civil aguarda pelos resultados das perícias nas armas e objetos apreendidos no curso das investigações, que estão bastante adiantadas. Há indícios que apontam para suposta relação entre três dos quatros homicídios registrados na cidade nos últimos meses, cujas motivações sugerem a disputa pelo controle do tráfico de drogas. Ocorre que a Polícia Cientifica também está sobrecarregada, e neste momento não nos resta alternativa a não ser aguardar pela conclusão dos trabalhos que será apresentada à justiça”, pondera.

Fiesta que as vítimas viajavam ficou completamente destruído
CRÉDITO: Antônio de Picolli

ACIDENTE

O acidente que vitimou cinco pessoas em Santo Antônio da Platina, no dia 3 de janeiro, aconteceu no km 51 da BR-153. Fábio Ricardo Mialski de Oliveira Júnior, 27, Lorena Ribeiro Basílio, 23, Murilo Augusto Rosendo de Oliveira, 26, Juliana Barros Wolf, 25, e Nina D’el – Rei Rosendo, de apenas 1 ano e 2 meses viajavam em um Ford Fiesta, com destino a Curitiba, e morreram na hora. O carro dos jovens bateu de frente com uma carreta, com placas de Lins-SP, que teria invadido a pista contrária. O motorista teve ferimentos leves.

HOMICÍDIOS

A série de homicídios em Santo Antônio da Platina começou em setembro do ano passado, com a morte de Carlos Alberto Padilha da Silva, o Cacá. Em plena noite de Natal (25 de dezembro de 2019), Diego Henrique da Silva foi assassinado na Vila Ribeiro. A terceira vítima foi Jefferson Aparecido da Silva, 31, conhecido por ‘Ferro Velho’, no dia 7 de janeiro na zona rural do município. No dia 15 de janeiro, Junior Alves de Oliveira Cubas, 23 anos, foragido da cadeia local, foi morto na Vila Santa Terezinha. Todas as vítimas foram assassinadas a tiros.