Tragédia na BR-153 completa dois meses; investigação aguarda perícia

Vítimas seguiam para Curitiba quando carro e carreta se chocaram no km 51 da rodovia federal deixando cinco mortos

Carro em que as vítimas viajavam ficou completamente destruído CRÉDITO: Antônio de Picolli/Arquivo

Dois meses após o grave acidente que deixou cinco mortos e uma pessoa ferida no quilômetro 51 da BR-153, em Santo Antônio da Platina, parentes e amigos das vitimas ainda aguardam ansiosos pelo resultado do inquérito instaurado pela Polícia Civil para apurar as circunstâncias da tragédia que chocou o Norte Pioneiro.

No dia 3 de janeiro, Fábio Ricardo Mialski de Oliveira Júnior, 27, Lorena Ribeiro Basílio, 23, Murilo Augusto Rosendo de Oliveira, 26, Juliana Barros Wolf, 25, e Nina D’el – Rei Rosendo, de apenas 1 ano e 2 meses viajavam em um Ford Fiesta, com destino a Curitiba, quando ocorreu a colisão frontal com uma carreta de Lins-SP, que, segundo testemunhas, teria invadido a pista contrária. Todos os ocupantes do carro morreram na hora. O motorista da carreta teve apenas ferimentos leves.

De acordo com o delegado Rafael Guimarães, a conclusão das investigações depende apenas do resultado da perícia realizada no tacógrafo do caminhão envolvido no acidente. Contudo, ainda não é possível estabelecer prazo para o encerramento dos trabalhos da Polícia Civil. “O resultado da perícia no tacógrafo é fundamental para concluirmos as investigações. A análise mostrará, entre outras questões relevantes, a velocidade desenvolvida pelo caminhão no momento da colisão. Porém, temos que aguardar pelas provas técnicas para encerrarmos o inquérito policial”, assinala o titular da 38ª Delegacia Regional de Polícia.

As vítimas haviam passado o fim de ano com parentes em Santo Antônio da Platina e retornavam para Curitiba, onde moravam, quando ocorreu a tragédia.