Casos de dengue disparam e aumentam 327% em 14 dias

Saúde confirma 140 pacientes infectados e 583 notificações, mas números podem ser muito superiores

Casos de dengue aumentam na mesma proporção que o mato cresce no canteiro em frente a Prefeitura de Santo Antônio da Platina CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Os casos positivos de dengue em Santo Antônio da Platina aumentaram 327% em apenas 14 dias. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (3) pela Secretaria Municipal de Saúde, o número de moradores diagnosticados com a doença aumentou de 44 para 140 no período e há 583 notificações. Os números, no entanto, podem ser muito superiores, considerando os pacientes que buscam atendimento particular e ficam de fora das estatísticas do serviço público de saúde, fato que elevaria o estado de alerta para uma epidemia na cidade.

As chuvas nos últimos dias e o calor intenso agravaram ainda mais a situação no município, que acumula lixo e entulho em vários bairros, aumentando o risco de contágio. Falta mão de obra pública para atender a demanda e os mutirões realizados pela prefeitura não surtiram o resultado esperado, pois em poucos dias os problemas tornaram a se repetir nos mesmos locais.

A falta de manutenção em terrenos particulares também é apontada pelos organismos de saúde como fator preponderante para o aumento disseminado dos casos de dengue na cidade. A prefeitura está notificando e multando os proprietários que descumprem a determinação, mas as medidas parecem não preocupar os responsáveis.

Na última segunda-feira (2), o empresário Leandro Arrabaça Barbosa protocolou um requerimento na prefeitura cobrando medidas emergenciais contra proprietários de terrenos no Jardim Murakami que deixam de fazer a manutenção em seus lotes. O bairro registra vários casos de dengue e a situação preocupa os moradores, que fizeram o abaixo assinado cobrando providências ao Executivo.

“A prefeitura precisa fazer alguma coisa urgente. De que adianta cuidarmos da nossa casa se alguns vizinhos irresponsáveis não fazem a parte deles? Trata-se de terrenos com mato alto e água empoçada, um verdadeiro brejão, propício para a proliferação do mosquito da dengue. Não adianta fazer mutirão se a prefeitura não agir radicalmente contra essas pessoas que não estão nem aí com a gravidade do problema”, pondera Leandro.

A prefeitura, por sua vez, segundo os moradores, também ‘precisa fazer o dever de casa’. O estacionamento em frente ao prédio do Executivo platinense está tomado por mato e preocupa a população. “Se quem deveria dar o exemplo age desta forma nós estamos perdidos. Quem vai notificar e multar a prefeitura?”, questiona um morador.

Procurado pela reportagem, o diretor do Meio Ambiente, Ricardo Arruda, informou que a manutenção do local é de responsabilidade da prefeitura, porém, que em razão das condições climáticas registradas no município nos últimos dias (fator que contribuiu para o crescimento desordenado do mato) a prioridade é pela manutenção em creches e escolas municipais para evitar riscos à saúde dos alunos, professores e servidores. Segundo o diretor, o serviço no estacionamento da prefeitura dever ser realizado no início da próxima semana.