Polícia fecha o cerco contra o tráfico de drogas em Santo Antônio da Platina

Mais uma grande quantidade de entorpecentes foi apreendida na tarde de quarta-feira (14) no município

Drogas e objetos furtados encontrados pelos policiais nos endereços suspeitos CRÉDITO: Divulgação – Polícia Civil

Ação conjunta das polícias Civil e Militar resultou em mais uma grande apreensão de drogas em Santo Antônio da Platina. Desta vez na tarde de quarta-feira (14) na Vila Ribeiro, em continuidade às diligências para identificar e prender os responsáveis pelo entorpecente apreendido na noite de terça-feira (13) no Jardim Santa Mônica, que renderia cerca de R$ 150 mil aos traficantes que agem na cidade e em municípios vizinhos.

A Justiça atendeu a solicitação do delegado Rafael Guimarães e autorizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão em dois endereços suspeitos na Vila Ribeiro. Os alvos da investigação não foram localizados, apenas um adolescente que estava em um dos imóveis e acabou conduzido para a 38ª Delegacia Regional de Polícia pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação.

Nos imóveis os policiais encontraram 219 gramas de crack, um tablete de maconha (196 gramas), 309 pedras de crack em forma de terço (59 gramas), 24 buchas de maconha (51 gramas), 216 pinos com cocaína (216 gramas), uma pedra de cocaína pesando 104 gramas, 261 ‘ependorf’ (para envazar cocaína) vazios e R$ 760 em dinheiro trocado.

Além dos entorpecentes os policiais também encontraram produtos de furto, entre eles: dois televisores, vasos sanitários, duas janelas, uma geladeira e diversos objetos de construção furtados por usuários e usados como moeda de troca no comércio das drogas.

“Foi mais uma efetiva ação dos órgãos de segurança no combate à criminalidade no município. Vários objetos apreendidos são objetos de furto. Caso alguém os reconheça, basta apresentar os comprovantes de propriedade e retirar na delegacia”, orienta o delegado Rafael Guimarães.

Participaram da operação equipes da Rotam, Canil, Agência Local de Inteligência (ALI) e de investigadores da 38ª Delegacia Regional de Polícia.