Polícia Civil prende pedófilo em Santo Antônio da Platina

Investigado aliciava crianças e adolescentes e armazenava conteúdo pornográfico envolvendo supostas vítimas

Aparelho celular do investigado continha material pornográfico e troca de mensagens com as vítimas CRÉDITO: Divulgação – Polícia Civil

Investigadores da 38ª Delegacia Regional de Polícia, coordenados pelo delegado Rafael Guimarães prenderam um homem em flagrante na tarde desta terça-feira (29), em Santo Antônio da Platina, pelos crimes de divulgar vídeos ou fotografias com registro de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente e posse ou armazenamento de registro de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

A equipe composta pelos investigadores Tiago de Souza e Reinaldo Leopoldo deram cumprimento à busca e apreensão em domicílio na área central da cidade por volta das 16 horas, onde localizaram e apreenderam um aparelho celular contendo diversas fotos de nudez e pornográfica de crianças e adolescentes e troca de conversas do homem investigado com as vítimas, com intuito de aliciá-las para prática de atos libidinosos ou troca de imagens e vídeos de nudez ou pornográficos.

O caso foi repassado ao delegado por um policial da Agência Local de Inteligência da Polícia Militar, com o relato de uma mãe que descobriu conversa do filho com o investigado, que tentava aliciar a criança para um encontro. A mãe foi ouvida na delegacia com auxílio da escrivã Mariana Bugalho. A qualificação e localização do investigado também teve auxílio do investigador André Facco.

O homem investigado foi conduzido à 38ª DRP, onde o delegado Rafael Guimarães o autuou em flagrante pelos crimes de divulgar vídeos ou fotografias com registro de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente (artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena: reclusão de 03 a 06 anos) e posse ou armazenamento de registro de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente (artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente – pena: reclusão de 01 a 04 anos).