“Vou focar na música, mas quem sabe uma novela”, conta Fiuk

Cantor vai usar seus R$ 50 mil do terceiro lugar para investir em equipamentos para música, que é a sua prioridade após o BBB

Fiuk, que disse no BBB21 que vendeu sua guitarra e seu computador, vai usar parte dos R$ 50 mil que ganhou com o terceiro lugar para repor suas perdas. “Eu ainda vou pensar. Mas provavelmente investir nos meus equipamentos para música, que são prioridade agora”, disse ele sobre o que vai fazer com a grana que ganhou. O cantor e ator garante que não vai tirar férias e que quer muito trabalhar para aproveitar a popularidade que o programa lhe deu. “Agora provavelmente eu vou focar na música, muita coisa para gravar e muito lançamento. Quem sabe uma novela… Eu gosto muito de atuar, é como se eu deixasse de ser eu”.

Sobre o coração, Fiuk não tem nenhuma dúvida de que a (breve!) relação com Thais ficou mesmo dentro da casa. “Eu não queria me envolver. Então, eu achei que no começo ela tinha mais esse negócio da brincadeira e acabei brincando. E quando vi que era uma coisa um pouco mais séria para ela eu comecei a me preocupar muito e comecei a falar com ela que não era. Fiquei muito preocupado em ter magoado ela de alguma maneira porque ela é uma menina muito bacana também. Ela tinha muita dificuldade no jogo e eu tentava acolher muito ela. Mas me envolver era uma coisa que eu não estava pronto, ainda mais lá dentro”.

Juliette é uma pessoa muito especial

A relação com Juliette, no entanto, começou bem e logo ficou estremecida. Fiuk chegou a duvidar dela e os dois tiveram vários conflitos. Porém, nas últimas semanas, selaram a paz e chegaram até a viver um “casamento” lá dentro.

O cantor afirma que sente um carinho muito especial pela maquiadora, que nunca desistiu dele. “Eu adoro ela! Às vezes eu demoro um tempo para conhecer alguém de verdade. Eu sou uma pessoa fácil de lidar, talvez pelas minhas características e pela minha história. Então eu sempre tive muita mania de perseguição, algumas pessoas se aproximavam por interesse. Eu acho que isso me ajuda muitas vezes, mas também atrapalha. Eu até tive essa conversa com a Juliette lá dentro, porque eu duvidei dela. E isso me fez muito mal, mas ao mesmo tempo me fez muito bem de ver que era de verdade e que ela não tinha desistido de mim, que eu podia contar com ela e sentir o carinho. Foi tudo muito especial. Eu me segurei muito, não vou negar, mas foi muito especial. Eu não queria deixar esse lado vencer, eu queria viver lá dentro. Não consegui ser forte com o cigarro, que acabou sendo uma fuga para ansiedade, mas nas questões de relacionamento eu queria ser forte. Ela é uma pessoa muito especial”.

 

Fonte: Carla Bittencourt/Metrópoles

Comentários